Páginas

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Análise: Need for Speed Rivals


  • PONTOS POSITIVOS
  • Liberdade de progressão
  • Polícia e bandido
  • Sempre online
  • Gostoso de pilotar
  • PONTOS NEGATIVOS
  • Exige cooperação online
  • Poucos jogadores na mesma partida
  • Muitas idas para a garagem












CONSIDERAÇÕES

Com um mundo aberto e sempre online, "Need for Speed Rivals" é um jogo que mostra o que esperar dos games da nova geração. Além de ser extremamente bonito, o game tem um sistema de progressão que não prende o jogador, como normalmente acontece em jogos do gênero.

Pena que para ter o seu potencial explorado ao máximo, é necessário que os outros jogadores que compartilhem seu mundo estejam com vontade de cooperar e tornar o game mais divertido – o que nem sempre acontece.

Mesmo assim, esse é um ótimo game do estreante estúdio Ghost, que aprendeu todas as lições com a Criterion e que fez com que esse "Need for Speed" se tornasse um dos jogos mais recomendados para os novos videogames.

INTRODUÇÃO

Ano sim, ano não, a série "Need for Speed" traz um jogo bom e extremamente viciante. Foi assim no ano passado com "Most Wanted", então era de se esperar que o "Need" deste ano não se chegasse tão bom assim. Felizmente não foi isso o que aconteceu. Dessa vez quem produz o game é a Ghost Games, produtora apadrinhada pela Criterion, que seguiu passo a passo o que está escrito na cartilha, quebrando assim o ciclo que amaldiçoa a série há anos.

"Need for Speed: Rivals" se passa na fictícia e montanhosa região do condado de Redview onde a polícia declarou guerra contra os corredores clandestinos. Polícia contra bandidos – tem fórmula melhor do que essa para um "Need for Speed"?

O resultado é um game rápido, violento e bastante divertido e, mesmo estando presente no PlayStation 3 e Xbox 360, "Rivals" é ambicioso e claramente pensado para os novos consoles.

PONTOS POSITIVOS

  • Liberdade de progressão
  • Os jogos de corrida geralmente colocam uma série de provas para passar uma sensação de progressão. Porém em "Rivals" a lista de tarefas fica à escolha do jogador. É o que o game chama de Speedlist, que coloca à sua disposição várias missões e você escolhe a que melhor lhe convém. Ao completar uma lista, um novo carro fica disponível e, em algumas casos, com melhorias e novas habilidades.

    No início de "Rivals" as tarefas são simples, como derrapar por 100 metros ou chegar em primeiro lugar em um racha. Mas conforme você avança, os objetivos vão ficando mais e mais complexos, como chegar em primeiro lugar em três corridas, bater em quatro policiais e destruir cinco corredores.

    Essa forma de progressão é muito boa e, mesmo que não influencie na história do game, é uma maneira viável para que você consiga explorar tudo o que o jogo tem a oferecer. É legal e dá uma sensação de progressão mais constante, mesmo que muitas tarefas se repitam.
  • Polícia e bandido
  • Em "Rivals" você acompanha ao mesmo tempo duas histórias, uma dos policiais e outra dos corredores, os "bandidos" da brincadeira. Cada história pode ser acompanhada independentemente e você pode mudar de uma campanha para a outra a qualquer momento em que entra em uma garagem do jogo.

    No controle de um corredor seu objetivo é simples: chegar em primeiro lugar e dominar a região. Já atrás do volante de uma viatura, sua missão é prender todos os que estiverem fazendo o escarcéu no condado.

    Com os policiais você vai dirigir sua viatura em busca de corredores. Alguns vão estar no meio de uma corrida, outros podem estar apenas vagando pelas estradas. Não importa: eles são os alvos. Ainda bem que existem reforços para impedir que o caos se espalhe pela cidade.

    Com os corredores é cada um por si e Deus por todos. Você deve ganhar as corridas, não importa como, mesmo que para tanto você tenha que jogar seus competidores para fora de um penhasco.

    Essa briga é melhorada com o cenário que muda a cada curva. Você sai de uma estrada desértica e corre em direção para uma montanha, chegando lá em cima o clima muda totalmente para um cenário gelado e com neve. Mas basta descer para cair dentro de uma cidade industrial e com uma chuva torrencial. 

    A cada cenário as perseguições ficam mais acirradas, fazendo com que você volte mais e mais vezes. O A briga entre policiais e corredores é clichê sim, mas poxa, é uma das coisas mais simples e divertidas que podemos esperar de um jogo do tipo.
  • Sempre online
  • Aqui você sempre está online. Quer dizer, sempre não, já que você tem a opção de jogar sozinho e sem a interferência de outros jogadores. Mas enfim, o jogo foi pensado para que você jogue sempre conectado e quando você faz desse jeito, entende que este é um "Need For Speed" pensado para a nova geração de consoles.

    Toda vez que você inicia uma partida o jogo o coloca em um mundo com outros jogadores. Assim como você, cada corredor tem sua própria agenda. Alguns querem apenas correr pelo mundo, outros estão fazendo os seus objetivos do Speedlist.

    A conversa por voz é indispensável, tanto para quem está jogando como corredor, como para aqueles que estão no controle de uma viatura de um policial. Um jogador só pode falar com outros jogadores da mesma facção e pode combinar táticas e pontos de encontro – o que quase nunca acontece, já que vira e mexe o que rola mesmo é um querendo atrapalhar a vida do outro.

    De qualquer forma, durante uma corrida você não sabe se aquela viatura que está na sua cola é um policial ou outro jogador, até que vocês cheguem perto um do outro. Isso dá uma dinâmica muito legal e dá uma ideia do que esperar para os próximos games desenvolvidos exclusivamente com os novos consoles na cabeça.
  • Gostoso de pilotar
  • Dirigir em "Rivals" é muito gostoso e simples. Desde o primeiro momento em que você coloca a mão no controle, logo sai correndo a alta velocidade, fazendo drifts e causando o caos em Redview.

    A jogabilidade de "Rivals" é uma evolução do que vimos em "Most Wanted". Porém, aqui existem mais áreas abertas e menos curvas fechadas, permitindo pisar fundo por mais tempo. Até mesmo o tráfego de veículos normais foi drasticamente reduzido, o que garante mais tempo de corridas e menos tempo em câmeras de batidas.

PONTOS NEGATIVOS

  • Exige cooperação online
  • Talvez o estúdio Ghost não saiba, mas uma das melhores coisas de "Rivals" dificilmente será aproveitada pelos jogadores pois exige que eles cooperem uns com os outros.

    No modo online você e mais 11 pessoas ficam no mesmo mundo, fazendo suas provas para completar a Speedlist. Porém se você quer fazer uma corrida com outros jogadores, terá que persuadi-los para ir ao mesmo ponto do mapa e lá começar a corrida. O problema é que nem sempre as pessoas querem jogar com outros jogadores, aí você é forçado a jogar sozinho, mesmo quando existem outras pessoas no seu mundo.

    É um pouco frustrante, afinal, esse é a principal novidade do game e, para aproveitá-la, você tem que contar com a boa vontade dos outros - e esperar isso de um grande grupo de desconhecidos é colocar fé demais na comunidade online.

    Minha dica de ouro para quem quer jogar online é: jogue com amigos. Dessa forma você não depende da boa vontade de estranhos para jogar em grupo e se divertir.
  • Poucos jogadores na mesma partida
  • Esse item está intimamente ligado com o tópico anterior. O mapa de Redview é enorme, gigantesco mesmo, porém 12 pessoas online é muito pouco para saciar sua vontade de ser realmente 'next-gen'.

    Não foram poucas vezes que passei horas e mais horas jogando sem nem ao menos cruzar com outros jogadores. É como jogar um MMO em um mundo populado apenas por robôs e NPCs – o que é realmente chato. Talvez se o número de jogadores em cada mapa fosse maior, a experiência de jogo poderia ser mais parecida com o que os desenvolvedores tinham pensado.
  • Muitas idas para a garagem
  • Como dito antes, o sistema de progressão dá bastante liberdade, porém, quando os desafios da Speedlist acabam, você é forçado a voltar para a garagem para pegar uma nova lista de desafios – e isso quebra toda a imersão e "Rivals". A situação é agravada nos primeiros níveis, pois algumas Speedlists possuem uma ou duas tarefas e são completadas rapidamente.

    No decorrer do jogo você vai acumulando Speed Points, que é o dinheiro do jogo e que serve para comprar carros e melhorias. O problema é que jogando com corredor você corre o risco de perder todo progresso de uma sessão caso seja preso ou tenha seu carro destruído. Quando isso acontece você fica frustrado e para evitar que isso ocorra novamente, é necessário voltar para a garagem para ficar depositando os SPs acumulados.

    As idas e voltas para a garagem quebram o ritmo do jogo e pode até ficar meio chato, afinal, a cada entrada na garagem é mais uma tela de carregamento que poderia ser evitada caso o game tivesse a opção de apenas fazer o depósito.

Compartilhe